Se possível, antes de tocar uma pessoa com deficiência visual, cumprimente-a


O toque, por mais bem intencionado que seja, é muito invasor,
principalmente quando se trata de quem não pode ver.

A invasão do toque pode estender-se também aos objetos de apoio utilizados pelas pessoas com deficiência: bengala branca, moleta, cadeira-de-rodas, etc.

Há pessoas que dizem que pegam direto porque não sabem o que falar. Digam-lhe apenas o motivo porque o estão tocando: um buraco, um orelhão, uma caixa de correio, um carrinho de papel ou coisa parecida, objetos que a bengala branca às vezes não identifica a tempo.

Se o obstáculo não for demasiado perigoso, como esses que foram citados, deixe a pessoaà  vontade, porque, talvez, aquilo seja até uma referência para ela, no caso de passar sempre pelo mesmo lugar.

Data de Publicação: 17/08/2015

Fonte: Deficiência OnLine