Professor mostra que a inclusão começa nos pequenos gestos


 



O que é que a inclusão tem a ver com o espírito de natal? Foi com o objetivo de promover essa reflexão que produzimos uma matéria especial para essa semana na qual os seres os humanos tendem a ser mais sensíveis para as coisas simples da vida



Em em meio aos diversos desafios e barreiras que enfrentamos para efetivar a proposta legal do direito a uma educação inclusiva de qualidade, um professor do ensino fundamental nos chamou atenção, com um pequeno gesto, na Escola Municipal Professora Marinete Damasceno Pinheiro, que fica em Ibirité/MG.



Durante uma atividade recreativa, na qual todas as crianças se divertiam com uma cama elástica, o Professor Emílio teve a simples iniciativa de promover a igualdade no lazer e incluiu o garotinho Matheus, que tem paralisia cerebral, no meio da brincadeira.



Em tempos de tanto desrespeito, a atitude digna do professor foi filmada pelos funcionários da escola e viralizou na internet, até chegar a nossa equipe.



Eu fiz questão de conhecer o Professor e a escola pessoalmente para ver como é feito o processo de inclusão do menino Matheus. E mesmo sem ter garantido todos os recursos pedagógicos estabelecidos na nossa legislação, eu tenho que ressaltar a acessibilidade atitudinal que tem sido promovida com primor pelos professores e funcionários da escola.



Temos que valorizar profissionais diferenciados como esse professor, mas não podemos esquecer que esse tipo de iniciativa nada mais é do que uma obrigação legal, contida no art. 28, XV da Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência que estabelece a garantia do acesso, em igualdade de condições, nas atividades recreativas, esportivas e de lazer, dentro do sistema escolar.



Fica a reflexão que vai muito além do espírito de natal que contagia multidões. A inclusão começa nos pequenos gestos e uma atitude positiva em favor do próximo pode impactar muito mais vidas do que você imagina.


Data de Publicação: 01/01/2018

Fonte: R7