Treinamento de alta performance marca rotina do Camping Escolar Paralímpico


A primeira edição do Camping Escolar Paralímpico reúne, de 21 de janeiro a 5 de fevereiro, 37 atletas da natação e do atletismo, dos 13 aos 18 anos. Eles se destacaram nas Paralimpíadas Escolares de 2017 e permanecerão em treinamento intensivo, sempre respeitando as limitações físicas individuais, por essas duas semanas no CT Paralímpico, em São Paulo.

 

O CPB montou uma estrutura à altura da importância do projeto.

 

Todos os atletas estão hospedados no setor residencial do CT Paralímpico, em São Paulo. A intenção é fazer uma imersão no esporte e viver, por duas semanas, a rotina de um atleta de ponta. Oito técnicos foram convidados a participar do projeto a partir do desempenho nas Escolares. Cerca de 40 pessoas estão trabalhando para dar as melhores condições possíveis de treinamento, avaliação, alimentação, hospedagem e segurança aos jovens. Vinte e quatro horas por dia, por exemplo, uma UTI móvel está à disposição para eventuais emergências. 

 

Eles atuam para garantir a segurança e qualidade de treinamento durante o período que ficarão em São Paulo. Para acompanhar as atividades dos jovens atletas de perto, a coordenação do Camping do CPB criou um grupo no WhatsApp com todos os pais, pelo qual eles mandam informações e fotos sobre as atividades dos atletas para que a família possa acompanhar de perto a rotina deles.

 

"O Camping Escolar Paralímpico é uma oportunidade para eles treinarem com técnicos de alta performance, com palestras sobre vários tópicos, como alimentação e comportamento, para que eles melhorem não só como atletas, mas também como indivíduos", diz Fábio Souza, um dos responsáveis pelo Camping no departamento técnico do CPB. 

 

Outro aspecto de um programa de alto rendimento abordado no Camping é a ausência dos familiares. Na maioria dos casos, é a primeira vez que os adolescentes estão viajando sozinhos - algo que acaba tornando-se rotineiro na carreira de um atleta de ponta.

 

"A vida de atleta muitas vezes implica na ausência da família para competir em outros cidades ou até outros países. Esse talvez seja o primeiro passo desses jovens talentos em direção à carreira de atleta de alto rendimento. Embora eles estejam aqui para se descobrirem, nós estamos para dar todo apoio, desde o auxílio médico e nutricional, até avaliações fisiológicas, pensando na performance deles" completou Fábio.

 

A segunda edição do Camping Escolar Paralímpico será realizada em julho próximo.

 

Assessoria de Comunicação do Comitê Paralímpico Brasileiro (imp@cpb.org.br)


Data de Publicação: 23/01/2018

Fonte: Comitê Paralímpico Brasileiro