Brasil conquista ouro na classe 2 masculina no Aberto da Eslovênia de tênis de mesa


No último dia de disputas do Aberto Paralímpico da Eslovênia, mais uma medalha de ouro para a delegação brasileira. Guilherme Costa e Iranildo Espíndola foram os responsáveis pela conquista da vez, na classe 2. A decisão aconteceu neste sábado, 12, em Lasko, Eslovênia.



Os campeões passaram pelo japonês Nobuhiro Minami e o chileno Luís Rodrigo Bustamante, na semifinal, vencendo o confronto por 2 a 1. Na final, tiveram os franceses Fabian Lamirault e Vincent Boury como adversários. Nas duplas, vitória brasileira por 3 a 2 (11/8, 7/11, 11/2, 3/11 e 11/8). Derrota de Guilherme para Lamirault, no jogo seguinte, por 3 a 1 (7/11, 12/10, 9/11 e 6/11). E vitória de Iranildo sobre Boury, por 3 a 1 (11/9, 11/6, 10/12 e 11/5), garantindo o ouro.



“Foi uma conquista extraordinária para nós, fruto de muito trabalho, organização e investimentos de pessoas responsáveis e competentes do Ministério do Esporte, do Comitê Paralímpico e da CBTM. Nossa equipe está tomando corpo. Sabemos que, com treinamento e esforço podemos ir bem mais longe”, avisa o campeão Iranildo, que ressaltou a importância da conquista para o esporte.



“Essa medalha vai abrir mais portas, vai trazer mais retorno. O Brasil está subindo de patamar. Estamos sendo vistos de outra forma, hoje não entramos mais apenas para disputar. Temos o Mundial no final do ano, mas a meta principal é a Paralimpíada de 2020. A gente está no caminho certo, estamos na direção correta”, garante.



Na classe 7, Israel Stroh e Paulo Salmin ficaram com a medalha de bronze, ao serem batidos, na semifinal, pelos tailandeses Rungroj Thainiyom e Chalermpong Punpoo, por 2 a 1. Nas duplas, os brasileiros perderam por 3 a 0 (5/11, 4/11 e 9/11). Israel venceu Punpoo, no segundo jogo, por 3 a 2 (11/8, 15/17, 11/13, 12/10 e 8/11). Na terceira partida, vitória de Thainiyom, por 3 a 0 (7/11, 5/11 e 6/11).



Já as meninas das classes 9-10, que conquistaram o ouro na Eslováquia, desta vez ficaram com a prata. A equipe formada por Bruna Alexandre, Danielle Rauen e Jennyfer Parinos bateu Shella Dwi Radayana, Hana Resti e Aminah Aminah, da Indonésia, na semifinal, por 2 a 0. Na final, tiveram uma pedreira pela frente. As turcas Neslihan Kavas e Merve Demir venceram por 2 a 1 o confronto e conquistaram o título.



*Com informações da Confederação Brasileira de Tênis de Mesa (CBTM)



Assessoria de imprensa do Comitê Paralímpico Brasileiro (imp@cpb.org.br)


Data de Publicação: 14/05/2018

Fonte: Comitê Paralímpico Brasileiro