Senac se destaca pela valorização de pessoas com deficiência


O Brasil garante o acesso de pessoas com deficiência ao mercado de trabalho desde 1991, quando a Lei 8.213/1991 determinou que empresas com 100 ou mais funcionários precisam disponibilizar de 2% a 5% das vagas a profissionais com esse perfil. Ao longo dessas quase três décadas, o percentual de cargos para PCD (pessoa com deficiência), em relação ao total de empregados do país, vem aumentando, principalmente desde 2004, quando a legislação ganhou o suporte de uma fiscalização mais efetiva. De acordo com dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais) do Ministério do Trabalho, era de 0,69% em 2010 e, em 2016, alcançou 0,91%.



Isso representa 418 500 profissionais num universo de 46 milhões de pessoas empregadas no país. Pode parecer pouco à primeira vista, mas o número vem sendo ampliado ano a ano. E ainda há bastante espaço para avançar. Até porque, em geral, os trabalhadores com deficiência são bastante qualificados: uma pesquisa realizada pela empresa Catho, em meados de 2017, apontou que 35% dos entrevistados têm formação superior e 23% estão cursando ou têm curso superior incompleto.



Práticas reconhecidas



Existem corporações que sobressaem pela maneira como realizam essa inclusão profissional. Para reconhecer esse trabalho no estado de São Paulo, a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência premia todos os anos as melhores empresas para trabalhadores com deficiência. Na edição de 2018, o Senac São Paulo, por exemplo, foi um dos grandes destaques, ficando em segundo lugar, atrás apenas da multinacional IBM e à frente, inclusive, da gigante McDonald’s. No ano anterior, a instituição tinha conquistado a terceira posição e, em 2016, a ONU já havia reconhecido as boas práticas da empresa.



O Senac São Paulo desenvolve o Programa de Inclusão de Pessoas com Deficiência desde 2002. “O programa completou 16 anos e, nesse período, vem aprimorando suas ações no sentido de garantir a qualidade do processo de inclusão”, afirma o gerente de pessoal do Senac São Paulo, Laercio Marques.


Data de Publicação: 22/11/2018

Fonte: Exame