Bate-papo com medalhistas dá início ao Camping Militar Paralímpico


A primeira edição do Camping Militar Paralímpico teve início neste domingo, 2, com a chegada de 33 militares ao Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo. Os participantes do projeto são oficiais reformados que, em sua maioria, passaram a ter a deficiência por conta de acidentes em serviço. Durante uma semana, eles serão apresentados a nove modalidades paralímpicas: atletismo, esgrima em cadeira de rodas, futebol de 5, halterofilismo, judô, natação, parataekwondo, tênis de mesa e tiro esportivo.



Este projeto é uma ação do Programa Militar do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB). Os objetivos são apresentar o esporte como uma oportunidade para ter qualidade de vida e descobrir possíveis talentos. Após o camping, serão indicadas aos participantes entidades em que podem praticar as modalidades que mais se identificaram.



“Existem valores militares que são interessantes para o esporte, como respeito às normas e à hierarquia, trabalho em equipe, autossuperação e disciplina. Grande parte dos oficiais estão fora de serviço há muitos anos e queremos retomar esses valores e resgatar a identidade militar deles. Então, aqui eles seguem uma rotina com características militares como: toque da alvorada, entrar em forma, prestar continência à bandeira e todos andam juntos como em um pelotão”, comentou Luis Fernando Sper Cavalli, líder do Programa Militar.



Além das atividades esportivas, há outras atrações na programação do camping. Nesta segunda-feira, 3, houve um bate-papo com os atletas André Rocha, recordista mundial no arremesso de peso F52 e no lançamento de disco F52, e Jonas Licurgo, medalhista de prata no lançamento de dardo F55, no Mundial de Atletismo de 2017. 



Os participantes do Camping Militar Paralímpico foram indicados pelas forças das quais pertencem. Há seis forças representadas: marinha, aeronáutica, exército, policia militar de São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná.



Assessoria de comunicação do Comitê Paralímpico Brasileiro (imp@cpb.org.br)


Data de Publicação: 03/12/2018

Fonte: Comitê Paralímpico Brasileiro