Imperator, no Méier, recebe projeto de acessibilidade para deficientes visuais e auditivos no teatro


O Imperator "" - Centro Cultural João Nogueira "" - passa a contar, mensalmente, com uma sessão com recursos de acessibilidade para pessoas com deficiência visual e auditiva nas peças em cartaz. O projeto Acessibilidade no Teatro, idealizado pela Lavoro Produções, vai levar para o público durante todo o ano de 2016 "" - inicialmente no último sábado do mês, uma sessão com audiodescrição, legendas e interpretação em LIBRAS, ao vivo, sem custo adicional no preço do ingresso. O programa começa no próximo sábado, 27, com o musical (Ou Tudo Ou Nada), de Tadeu Aguiar, sucesso de público e crítica. O espetáculo do mês de março ainda será anunciando.
Patrocinado pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, através da Secretaria Municipal de Cultura, o programa já funciona no Teatro Carlos Gomes há quatro anos com sucesso, tendo levado mais de mil e duzentas pessoas com deficiência ao teatro. A iniciativa se tornou uma referência para outros projetos de inclusão pela arte no Brasil. Durante a sessão, um ator é responsável por passar cada detalhe da cena, das roupas e expressões dos atores, do cenário, diálogos, músicas, entre outros, para os espectadores com deficiência visual, fazendo com que eles fiquem imersos no universo da peça.
"" - Estamos muito felizes em levar o projeto para o Imperator. Já temos um público cativo que frequenta o Teatro Carlos Gomes e que cobra mais opções. Com esse novo espaço estaremos durante um ano no Centro e no Meiér e sempre buscando ampliar o projeto, ressalta Lara Pozzobon, diretora da Lavoro Produções.
Acessibilidade no Teatro
O recurso da audiodescrição consiste na descrição objetiva de todas as informações visuais contidas nas cenas do espetáculo teatral, como expressões faciais e corporais, ações dos personagens, detalhes do ambiente, figurino, efeitos especiais, mudanças de tempo e espaço, além da leitura de informações escritas em cenários ou adereços. Para completar a acessibilidade para as pessoas com deficiência visual, o programa da peça é produzido em versão em Braille. A interpretação em LIBRAS é a tradução para a Língua Brasileira de Sinais de todos os diálogos, músicas e informações sonoras importantes da peça teatral. A legendagem também contém todos os diálogos, músicas e informações sonoras do espetáculo, e é utilizada pelas pessoas com deficiência auditiva que não usam LIBRAS.
As sessões com acessibilidade não geram custo extra para os usuários dos recursos. O preço do ingresso varia de acordo com o espetáculo, e geralmente segue a política de preços populares da Prefeitura do Rio. O público deverá avisar na bilheteria se fará uso de algum dos recursos, para definir sua posição no teatro. Os usuários das legendas, assim como os usuários da Interpretação em LIBRAS, devem buscar os lugares no lado direito da plateia. E os usuários de audiodescrição não têm lugar definido. A equipe do teatro e a nossa equipe estãoà  disposição para facilitar a entrada de todos. Para as pessoas com deficiência visual, fazemos, quando possível, uma visita guiada ao palco, impreterivelmente 30 minutos antes do início do espetáculo. Por isso, é importante que cheguem com mais antecedência.
Sinopse
A montagem brasileira do musical criado a partir de um dos grandes sucessos de bilheteria do cinema nos anos 1990 "" - The Full Monty "" - conquistou os cariocas em sua temporada no Theatro NET Rio, com direção de Tadeu Aguiar e versão de Artur Xexéo. Devido ao grande sucesso, o espetáculo faz temporada no Imperator.
Com um elenco de 17 atores que inclui Mouhamed Harfouch, Patrícia França e Sylvia Massari e sete músicos, a deliciosa comédia é protagonizada por seis desempregados que se aventuram num striptease para pagar suas contas. OU TUDO OU NADA tem direção musical de Miguel Briamonte (das versões brasileiras de O Fantasma daà-pera, Chicago, A Bela e a Fera, Les Misérables) e texto em português de Artur Xexéo.

Data de Publicação: 24/02/2016

Fonte: Sopa Cultural